Petrobras eleva preço da gasolina nas refinarias pelo 2º dia seguido

13/09/2018
Fonte: G1.com - Economia
Preço do combustível passará de R$ 2,2294 para R$ 2,2514 a partir desta sexta-feira, nova máxima dentro da política de reajustes diários, iniciada há mais de um ano.
A Petrobras voltou a elevar o preço da gasolina nas refinarias, com um aumento de 0,98% anunciado nesta quarta-feira (12). Com isso, o preço do combustível passará de R$ 2,2294 para R$ 2,2514 a partir desta sexta-feira (14).
Trata-se do segundo reajuste diário após 1 semana de preços inalterados. Na véspera, a estatal anunciou um aumento de 1,01%.
Com o aumento, o novo valor renovará máxima dentro da política de reajustes diários, iniciada há mais de um ano. Em 30 dias, a alta do preço médio da gasolina nas refinarias já chega a 17%.
Desde o início da política de ajuste de preços, iniciada em julho do ano passado, o preço da gasolina nas refinarias acumula alta de 71,28% e, o do diesel, valorização de 69,46%, segundo o Valor Online.
Em março deste ano, a empresa mudou sua forma de reajustes, e passou a divulgar preços do litro da gasolina e do diesel vendidos pela companhia nas refinarias — e não mais os percentuais de reajuste.
Já o preço do diesel segue mantido em R$ 2,2964 o litro. No fim de agosto, a estatal anunciou alta média de 13,03% no preço do diesel nas refinarias do país, após 3 meses de valores congelados, depois que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) determinou os novos preços de comercialização do diesel dentro da política de subvenção ao combustível. O preço será mantido até 29 de setembro.
Antes do anúncio da estatal sobre o aumento do diesel, o preço do produto permanecia estável em R$ 2,0316 por litro desde 1º de junho, quando a estatal reduziu em R$ 0,07 o valor. O compromisso foi originado da greve dos caminhoneiros, no fim de maio. Uma das principais reivindicações da categoria era redução no preço do diesel.
Barril de petróleo atingiu máxima em 4 meses
A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente, refletindo sobretudo o preço internacional e o câmbio. Na véspera, o barril de petróleo Brent bateu US$ 80,13, maior cotação em 4 meses.
Na semana passada, a Petrobras anunciou uma flexibilização na sua política de preços que permitirá aumentar os intervalos de reajustes nos preços da gasolina nas refinarias em até 15 dias. A estatal informou que vai adotar a partir desta quinta-feira (6) um mecanismo de proteção financeira (conhecido como hedge) que dará a opção de mudar a frequência dos reajustes diários no mercado interno.
Preço nos postos
Os preços médios do diesel e da gasolina ao consumidor subiram na semana passada, segundo levantamento divulgado na segunda-feira (10) pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP).
O preço do diesel terminou a semana passada com aumento de 3,4%. Foi a R$ 3,489, acima do observado no levantamento anterior (R$ 3,373). Já o preço da gasolina teve alta de 1,8% e subiu a de R$ 4,525, acima dos dos R$ 4,446 apurado na leitura passada. Em parte do país, o litro da gasolina já está sendo vendido acima de R$ 5.
No mesmo período, o preço médio do etanol aumentou 2,4%, de R$ 2,626 para R$ 2,690.
O valor representa uma média calculada pela ANP e, portanto, pode variar de acordo com a região.

Compartilhe esta notícia

Já sou cadastrado no site


esqueci minha senha

ou

Não tenho cadastro no site


Se você já é sócio do Sincopetro e não tem acesso a área restrita deste site, cadastre sua senha.





Newsletter


cadastre-se para receber nossa newsletter





Sincopetro Vídeos


Preço dos combustíveis baixa nas refinarias e valor não chega ao consumidor | SB